Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Consultor de Tecnologia da Informação | www.anagauna.eti.br | WhatsApp: +55 (21) 97937-1230 | @amgauna | @anagaunatech

Translate

domingo, 22 de dezembro de 2019

SQL - Indice, Chave e Relacionamento da Tabela


SQL - Indice da Tabela


Criar Índice = CREATE INDEX Nome ON

Alterar Índice = ALTER INDEX TabelaEColuna

Exclusão Indice = DROP INDEX Nome Propriedade Nome

OBS: O comando DROP INDEX remove o índice, mas não remove os dados no campo em questão.



4. NORMALIZAÇÃO DE DADOS 
(RELACIONAMENTOS E CHAVES) 

Normalização de dados é um termo que está intimamente ligado a Relacionamentos, que por sua vez é ligado a chaves. 

• Relacionamentos = São ligações entre tabelas onde existes um ou mais campos em comum entre as tabelas relacionadas conhecidos como campos chaves. 

• Campos Chaves = São valores que apresentam “referência” de uma tabela em outra (chave de identificação). As tabelas dos bancos de dados são compostas por linhas e colunas, sendo que algumas das colunas podem apresentar características especificas de acordo com a forma com que a tabela foi construída ou da aplicação que será construída sob o banco de dados, geralmente algumas colunas são criadas especificamente para gerar relacionamentos entre duas ou mais tabelas, tais colunas são denominadas “colunas chaves”. 


4.1 Tipos de Chaves 

1. Chaves Primárias (Primary Key – PK), os valores são únicos (não se repetem nos registros da tabela). Esta característica também é denominada de identificador único. 

2. Chave Composta é formada pela composição de duas ou mais colunas para gerar um identificador único, podendo significar que nenhum campo isoladamente possa se tornar a chave primária, sendo necessário dois ou mais campos para gerar uma combinação única de cada registro. 

 Neste exemplo o nº de CPF é utilizado como chave primária, não pode haver duas pessoas com o mesmo número de CPF. Em uma tabela de cadastro de alunos, o mesmo se aplica ao número de RA (Registro de Aluno) 

Usando a mesma tabela do exemplo anterior, neste caso, se o nº de CPF dependesse de cada estado, a identificação seria composta pela chave estrangeira. 

3. Chave Estrangeira (Foreign Key – FK), modelo adotado onde a coluna armazena a chave primária de outra tabela (referência), não sendo necessário preencher todas as informações que são “buscadas” através do código ou informação atrelada. 

Neste exemplo, a tela de cadastro utiliza uma tabela que armazena os dados utilizando o número de matrícula como uma chave estrangeira, sendo que, este mesmo campo é a chave primária no cadastro de funcionários (RH) 

4.2 Tipos de Relacionamentos 

a) Relacionamento 1 para 1 (1:1), para cada registro na primeira tabela existe no máximo um correspondente na segunda tabela, e vice-versa. 

Neste exemplo, existe um único correspondente na tabela 2 para a tabela 1 em virtude de cada pessoa possuir um número específico de CPF.

b) Relacionamento 1 para muitos (1:*), neste tipo de relacionamento, para cada registro na primeira tabela podem haver dois ou mais correspondentes na segunda tabela, mas para cada registro na segunda tabela deve haver apenas um correspondente na primeira tabela. Neste exemplo, um indivíduo pode ser proprietário de mais de um automóvel, sendo possível também que outra pessoa não possua nenhum automóvel registrado em seu número de CPF.

c) Relacionamento muitos para muitos (*:*), para cada registro da primeira tabela podem existir um ou mais correspondentes na segunda tabela, e vice-versa. Neste exemplo, uma pessoa pode exercer mais de uma profissão, assim como, uma determinada profissão possa ser exercida por mais de uma pessoa.


A Linguagem SQL tem como grandes virtudes sua capacidade de gerenciar índices, sem a necessidade de controle individualizado de índice corrente, algo muito comum nas linguagens de manipulação de dados do tipo registro a registro. 


Nenhum comentário: