Total de visualizações de página

domingo, 5 de novembro de 2017

Quanto devo cobrar? por um serviço? por um trabalho?


Quanto devo cobrar? por um serviço? por um trabalho? 




Essa é uma pergunta comum a várias pessoas em determinado momento da vida, no trabalho, no emprego. Não sabem ao certo o quanto devem cobrar por algo. Eu mesma já tive esta dúvida diversas vezes.
Tenho observado as redes sociais já tem alguns anos. Tenho observado também que a economia está em crise, a economia está quase parada no Brasil, mas não apenas no Brasil, está parada em outros países também.
Um eletricista cobra 100 reais por hora para fazer um trabalho com eletricidade, um bombeiro hidráulico cobra 100 reais por hora para consertar uma descarga ou consertar um encanamento hidráulico. Um marceneiro cobra 100 reais por hora para fazer um móvel. E os profissionais de computação?  Quanto devem cobrar por suporte técnico?

Valor de sua hora técnica profissional

Vamos fazer uma comparação: se trabalha em uma empresa e ganhando um salário fixo, qual seria o valor dele? 

Entenda qual o seu nível profissional (júnior, pleno, sênior, especialista, etc) e tente encontrar informações sobre o quanto o mercado está pagando em salário para a sua função. 

Não deixe de avaliar também o valor dos benefícios (plano saúde, vale-transporte, vale-alimentação) e, se for CLT, os custos de manutenção de um funcionário para uma empresa. 

Feito isso, divida o valor total (normalmente o dobro do salário em si) pelo número de horas mensais trabalhadas como funcionário, assim terá o primeiro valor de estudo do quanto deve cobrar por hora de trabalho. 

Por exemplo, se você acha que estaria empregado com um salário de R$ 2.000, divida R$ 4.000 por 160 horas (40 horas semanais) = valor de R$ 25,00 por hora. 

Por exemplo, se você acha que estaria empregado com um salário de R$ 4.000, divida R$ 8.000 por 160 horas (40 horas semanais) = valor de R$ 50,00 por hora. 

Essa comparação é interessante por um fator bem prático: ao pedir um orçamento de você, seus clientes também costumam fazer essa matemática para saber o que vale mais a pena, contratar um freelancer ou aumentar sua equipe com um novo funcionário. 
Mas, calma, isso não significa que você tenha chegado ao valor de sua hora. Tem mais algumas dicas importantes pela frente. 

Saiba quais são os custos envolvidos no trabalho:

Um erro bem comum dos freelancers ao definir o preço para seu trabalho é não considerar os custos envolvidos. 

Para cada projeto, é preciso colocar na ponta do lápis o que gasta com energia elética, internet, impostos, material de escritório, aluguel de sala comercial, transporte para reuniões (deve-se calcular qual será o gasto com gasolina de carro, passagem de ônibus, passagem de metrô, gasto com taxi, etc) e tudo o mais que estiver envolvido na execução das atividades.  E se você for trabalhar em um bairro distante de sua moradia, tem que calcular também o gasto com a sua alimentação.

É claro, você não vai colocar todo valor da sua conta de internet no projeto de um cliente, mas precisa ter noção de que esse é um custo que tem como empresa, portanto deve ser pago pelos serviços que prestar, não pelo “salário” que definir para você.


Por Ana Gauna (04/11/2017)
@amgauna | @AnaGaunaTech | www.amgauna.eti.br

Nenhum comentário: